Universo Aves

 
Doenças
 
Calopsitas

Quando falamos de doenças em calopsitas na verdade falamos de doenças em aves. Desta forma vamos comentar algumas das principais doenças que podem ocorrer em aves e, em especial, em calopsitas.

Devemos, antes de mais nada, lembrar que doenças podem ser originárias de uma infinidade de fatores : Podemos já ter adquirido uma ave doente; Podemos ter adquirido uma ave doente (sem sinais exteriores) e esta ave ter contaminado nossas outras aves; Podemos ter uma ave estressada o que diminui sua resistência e, consequentemente, favorece o aparecimento de doenças; Podemos estar efetuando uma alimentação inadequada das aves e, desta forma, reduzindo sua resistência a doenças; Podemos estar fornecendo uma higiene precária o que favorece o aparecimento de doenças as mais diversas; As aves podem ter tido contato com aves livres ( pardais, rolinhas ) que, por sua vez, acabam trazendo alguma doença. Isto ocorre principalmente em viveiros que ficam mais expostos a eventuais contatos externos; Podemos estar fornecendo algum agente contaminante sem que percebamos à primeira vista ( por exemplo : deixando jornais ao alcance dos bicos das aves o que acaba por intoxicá-las e matá-las ). Poderíamos continuar neste exercício de pensamento por um bom tempo. Chances não faltam para que uma ave possa contrair algum tipo de doença e mesmo vir a falecer. O que temos que ter consciência é que, em qualquer um dos casos acima mencionados, a responsabilidade quase sempre é nossa. Ou por ignorância ( no bom sentido, no sentido de não conhecermos melhor algo) ou por falta de preocupação e cuidados com as aves. Naturalmente que temos os problemas vindos de fora ( exógenos ) . Mas mesmo nestes podemos minimizar os eventuais problemas que possam vir a aparecer. Então, ao invés de irmos logo falando sobre doenças vamos comentar sobre alguns aspectos de profilaxia e proatividade que vão, com certeza, diminuir as chances de termos problemas com doenças.

Fêmea Lutino

Foto: Alfredo C Gomes

Ao adquirir uma ave preste atenção nela. Uma ave saudável deve ser ativa. Procure ver se está se alimentando normalmente. Veja se os olhos dela estão bem abertos, limpos. Observe o aspecto geral das penas. Uma ave 'sapeca' normalmente é uma ave com saúde. Procure também observar o aspecto de baixo das aves, perto da cloaca (sim, o bumbum da ave!) . Uma ave saudável possui esta região limpa e seca. Caso a ave tenha esta região faltando penas, inchada ou suja de fezes isto quase sempre significa doenças com certa gravidade. Lembrar que quando compramos filhotes eles podem ainda estar emplumando e, portanto, estar faltando o desenvolvimento geral das penas. Mas os demais aspectos ainda devem ser observados. Note se as penas próximas aos olhos se encontram faltando ou como se estivessem 'molhadas' em uma direção específica. Isto pode demonstrar problemas.

Mantenha sua ave recém-adquirida em quarentena. Procure ter uma gaiola própria para isso. Deixe a ave separada em média de 20 a 30 dias. Neste período observe o comportamento geral da ave e note se alguma doença se manifesta. Caso você não faça isto e coloque a ave diretamente com as outras pode ser que introduza alguma doença que venha, posteriormente, a dar grandes problemas e mesmo ocasione óbitos. Se possível procure dar vermífugo a esta ave, conforme sua bula.

Filhotes são uma caso especial à parte pois exigem maiores cuidados e atenção. Antes de adquirir um filhote procure observá-lo. Verifique as condições das asas. Filhotes normalmente não estão totalmente emplumados. Mas o aspecto geral da ave deve dar uma possível dica de sua saúde. Se possível veja se o filhote é alimentado e aceita a papinha normalmente. Os olhos deve estar limpos e límpidos. Lembre-se que filhotes dormem mais mas aves demasiadamente paradas podem indicar problemas. Procure afagá-las. Ela deve reagir ao seu toque, normalmente se afastando pois não o(a) conhece. Caso a ave não reaja a este toque fique de sobreaviso. Algumas podem olhar para você e pedir comida, emitindo um chiado característico. Isto é bom sinal. Levante-a e olhe detidamente seu traseiro ( conforme anteriormente mencionado ) . Deve estar limpo, sem fezes grudadas, aspecto inchado ou úmido. Observe se a ave dorme e, ao respirar, acaba movendo seu rabo como que compensando o respirar. Procure ouvir sua respiração e notar se há algum chiado. Colocando a ave em seu dedo ela deve agarrá-lo com firmeza. Pode mesmo querer bicá-lo, o que também é bom sinal. As penas da ave devem estar todas normais, sem respingos de sangue.

Higiene é a palavra de ordem. Adquira o hábito de sempre limpar gaiolas, comedouros, bebedouros. Águas devem ser trocadas diariamente ou mais de uma vez se constatado que se encontra suja. Procure utilizar água filtrada e fervida. Para as limpezas utilize produtos específicos animais para que não haja intoxicação indevida.

Já foi comentado mas vale a pena reforçar : nunca utilize jornais na forragem das gaiolas. O chumbo que está presente nas tintas dos jornais é altamente tóxico para as aves. Utilize papéis pardo ou rosado ou ainda serragem.

Evite o contato de suas aves com aves selvagens. Elas podem trazer inúmeros problemas como, por exemplo, piolhos. Basta que fiquem em cima de uma gaiola ou um viveiro para que alguns piolhos caiam dela e acabem infectando seu plantel.

Forneça uma alimentação variada para sua ave. Forneça variedade em grãos, além de verduras, frutas e legumes. Não se esqueça do milho verde cru. Pão velho ou torrada ( pães normais, sem aditivos ) também deve ser oferecido.

Utilize-se de vermífugos de forma regular, sobretudo se pretende tirar filhotes. Existem também produtos anti-coccidiostáticos que podem ser oferecidos de forma preventiva, conforme a bula.

Uma ave bem alimentada , dispondo de variedade na alimentação, com água sempre fresca e potável e a higiene adequada dificilmente necessitará de remédios e veterinários. Os custos e trabalhos com estes itens podem acabar poupando dinheiro a médio e longo prazos. Pense nisso.

Uma das melhores ferramentas para se manter a saúde das aves é a INFORMAÇÃO . Procure ler o mais que puder sobre suas aves. Participe de fóruns de discussões, mantenha-se sempre atualizado(a) .

Faça da OBSERVAÇÃO uma ferramenta a mais na sua criação. Utilize diariamente um tempo para observar todas as aves. Procure por comportamentos que mudam, fezes que se alteram, por mudanças dos hábitos das aves. Observe sempre como elas estão, se continuam ativas, se continuam brincando. Qualquer mudança repentina pode significar problemas . Desta forma podemos agir a tempo de efetuar uma cura efetiva. Caso não as observemos podemos apenas notar uma doença em estágio avançado, quando nenhum tratamento mais surtirá efeito.

Calopsitas não gostam de ambientes 'agitados' . Justamente porisso acabam não se dando bem com crianças que, justamente por serem crianças, são afoitas, agitadas. O melhor a fazer é , se for o caso, separá-los. Forçar uma ave numa situação que não lhe é normal pode gerar grande estresse o que, por sua vez, pode desencadear doenças. Sempre se dirija a elas com tom de voz cordial, falando normalmente. Isto gera confiança no relacionamento.

Evite 'ganchos' e cordas em viveiros ou gaiolas. As aves podem ficar presas em ganchos, ferindo-se . Cordas também não são recomendadas pois podem prendê-las, inadvertidamente, e vir a causar problemas fatais.


Atenção : As informações abaixo são baseadas exclusivamente na experiência de criadores no tratamento de determinados problemas. Isto não exclui, de forma alguma, a necessidade de levar sua ave a um veterinário devidamente habilitado e credenciado. Somente este profissional pode avaliar, analisar e dar o tratamento mais efetivo na solução dos eventuais problemas de saúde relacionados às aves.

 


Problemas Oculares - Um dos problemas mais comuns com relação às Calopsitas tem a ver com irritações ou inflamações oculares. Inicialmente procure limpar com soro fisiológico e água boricada. Na maioria das vezes este tratamento é suficiente. Se após 3 dias permanecer o problema utilizar então Terramicina Oftálmica©, Gentamicina©, Tobrex© (Tobramicina) ou Diamotil-B© ( preferencialmente em pomada, não líquido ) . Evitar produtos com cortisona . Podem ser obtidos em farmácias.

Falta de Cálcio - Problemas nos ossos - Pernas fracas - Um problema que pode afligir aves é a falta de cálcio. Isto pode acarretar diversos problemas. A ave tem sua estrutura ossa comprometida. Muitas vezes não consegue ficar de pé nas próprias pernas. Qualquer batida pode ocasionar graves problemas. Uma alimentação balanceada irá diminuir este problema, senão saná-lo. Procure fornecer dia sim, dia não verduras às aves, sobretudo couve, espinafre, brócolis. Em casos críticos, entretanto, será necessária aplicação extra de cálcio. Podemos nos utilizar de produtos tais como o Avitrin Cálcio© onde, seguindo a bula, pingamos cálcio na água das aves. Podemos também utilizar Aderogil-D© diretamente no bico da ave. Avitrin Cálcio© pode ser adquirido em Petshops e agropecuárias. Aderogil-D© pode ser adquirido em farmácias.

Inflamações - As inflamações podem ocorrer por diversos motivos. Um deles é devido a quedas ou batidas da ave em alguma superfície. Nestes casos pode ser utilizada a pomada Quadriderm Veterinária©. Pode ser adquirido em petshops e agropecuárias.

Ave estressada, nervosa - As aves podem ficar estressadas ou nervosas por uma série de fatores. Algumas vezes a simples mudança de lugar pode gerar o estresse. Nestes casos pode ser utilizado a Dextrose ( Dextrosol© ), também conhecido como açúcar de milho, açúcar de uva ou açúcar para bebê . Devemos dissolver um pouco na água do bebedouro e fornecer à ave por três dias. Não exagerar no uso nem na prolongação do tratamento pois pode provocar sono excessivo da ave. Pode ser adquirido em farmácias e alguns supermercados.

Vermes - Vermes os mais diversos são extremamente fáceis de serem adquiridos pelas aves. Caso estejamos pensando em procriação o problema cresce ainda mais. Para se evitar problemas com vermes ( podem levar à morte adultos e principalmente filhotes ) é aconselhável aplicação de vermífugo a cada 6 meses, baseados em Mebendazol . Temos à venda, por exemplo, o Avitrin Vermífugo© . Basta seguir as instruções da bula. Poucos meses antes de se tentar uma criação é aconselhável a aplicação, caso ainda não tenha feito. Pode ser adquirido em Petshops. Podem também serem fornecidas sementes de abóbora que são naturalmente vermífugas.

Ferimentos com sangue - Em caso de aves que tenham se ferido e estejam sangrando se possível primeiro efetuar uma limpeza com soro fisiológico ou água boricada. Após a limpeza pode-se utilizar a pomada Fibrase© que possui ótimo efeito no ferimento. Caso haja sangramento que não diminua você pode colocar um pouco de pó de café sobre o ferimento. Isto força que haja coagulação mais rápido. Após ter ocorrida a coagulação limpar com cuidado a parte atingida e aplicar a Fibrase©. Esta pomada pode ser adquirida em farmácias.

Piolhos - Os piolhos são pequenos vermes vermelhos que se alojam no corpo das aves. Acabam debilitando as aves devido a se alimentarem do sangue. Aves caseiras podem ser contaminadas por aves silvestres que pousam próximo e acabam por deixar alguns cairem, passando a nossas aves. Existem no mercado diversas opções contra estes parasitas. Um deles é o Piolhaves©. Outro é o Bolfo©, da Bayer©. Praticamente todos são um talco que é aplicado diretamente nas aves. É necessário que cubramos a cabeça da ave para que ela não aspire a aplicação. Da mesma forma a aplicação deve ser efetuada com uma luva própria pelo criador, não devendo ser aspirada também por humanos. Pode ser adquirido em Petshops e agropecuárias. Algumas pessoas, ao invés de se utilizar destes produtos, efetua um 'banho' com vinagre diluído nas aves. Para se evitar este contágio podemos misturar folhas de eucalipto ou louro na serragem das gaiolas, sobretudo em ninhos. Amassam-se as folhas e , a seguir, coloca-se abaixo da serragem.

Ave defecando sangue - O ideal neste caso seria levar a ave até um veterinário. As causas podem ser : 1) Parasitas Intestinais - Usar Mebendazole ; 2) Protozoários - Usar Flagyl ; 3) Coccídeos - Usar Sulfas . São doenças que debilitam rapidamente a ave devendo ser tratada da forma mais rápida possível.

Espirros constantes - Algumas aves costuma ter grande suscetibilidade a alguns fatores externos que acarretam um grande número de espirros, por vezes lembrando uma rinite. Em um primeiro tratamento deve ser aplicado Rinosoro, uma gota em cada narina e observar se há melhora perceptível. Caso o problema persista para estes casos é recomendado, então, o uso de Sorine© ou Gasarone© diretamente nas narinas da ave ( uma gora por narina; caso perceba que não houve penetração da quantidade necessária pingue novamente). Cuidado para não pingar nos olhos, procurando imobilizar a cabeça da ave. Este produtos podem ser adquiridos em farmácias. Foi efetuada a observação de uma pessoa lembrando que Sorine é um produto à base de Nazofalina, produto tóxico e que, eventualmente, pode vir a causar o óbito da ave. A indicação de Sorine foi efetuada por criadores com base em suas experiências, porém a pessoa em questão afirma que criadores têm como único objetivo o lucro, sem pensar na saúde e bem-estar de suas aves, motivo da indicação do Sorine. Aqui cabe o bom-senso da pessoa que cria e dos criadores em geral no tocante à observação desta pessoa. Caso queira o conteúdo da troca de emails no tocante a este assunto basta que assim nos solicite. O colaborador Renato F Júnior lembra oportunamente que há o sorine pediátrico e adulto. O pediátrico (como o Rinosoro) possui uma solução de Cloreto de Sódio a 3%. Apenas a modalidade Adulto possui nafazolina (potente vasoconstritor que pode ter efeitos colaterais em crianças.(Usuários do Orkut : este tópico é o motivo de não conformidade entre um usuário e o conteúdo deste site.

Peito Seco - O chamado 'Peito Seco' não é uma doença em si, mas uma condição que a ave acaba adquirindo devido a diversos fatores. Ocorre que uma das consequências de doença na ave é a redução da musculatura peitoral. Com isto o osso chamado 'Externo' ou 'Quilha' torna-se proeminente. Na verdade o 'Peito Seco' pode ser gerado por parasitas, fungos, bactérias, vírus, tumores, coccidiose, problemas de nutrição, falta de higiene, má qualidade da água e ainda outros fatores. Uma determinada doença age reduzindo a capacidade de absorção de alimentos da ave. Ela utiliza suas reservas de gordura ( que é pouca em aves ) . A seguir utiliza o Glicogênio existente e, por fim, consome as proteínas musculares. Ao percebermos que a ave está com 'Peito Seco' isto quer dizer que a mesma já se encontra em fase terminal. Podemos tentar tratamento com produtos como Saúde® Ampolas e Coquetel© , da Plumas . O melhor tratamento, entretanto, é o de prevenção. Forneça alimentação adequada, atenção ao plantel, higiene, limpeza, tratamentos de manutenção sempre em dia. Isto fará com que tenda a zero a incidência do 'Peito Seco' .

Coccidiose - Esta doença pode ser confundida com outras doenças de sintomas similares. Como principais sintomas podemos citar : Cansaço - a ave parece respirar com dificuldade e tem pouca movimentação; Aumento do consumo de água ; 'Peito Seco' - a ave passa a ter o famoso 'peito seco' conforme item acima; Emagrecimento geral da ave; Fezes aquosas e esverdeadas, ocorrendo diarréia. As fezes por vezes ficam próximas à cloaca da ave, dando uma impressão geral de sujeira na parte de baixo. Algumas vezes as penas da região caem e surge uma aparência 'inchada' . Doença contagiosa. Esta doença costuma ser adquirida por contágio com outra ave contaminada ( voltamos ao assunto da quarentena ) , falta de higiene na gaiola, bebedouros, comedouros . O tratamento pode ser efetuado com produtos como o Avecox© Suplemento Vitamínico e Aminoácido para Alimento Animal com Coccidiostático ( Aditivo Coccidiostático ) da Vansil©, conforme bula. Pode também ser utilizado o Coccidex© (pode ser adquirido no site www.terradospassaros.com.br ). Alguns criadores fornecem Milheto para as aves, de caráter profilático. Estes grãos possuem também efeito coccidiostático. Alguns alimentos da empresa Zootekna© também têm, em sua composição, coccidiostáticos. Desta forma utilizando-se milheto e os produtos cocciostáticos teremos uma diminuição significativa da possibilidade de ocorrência desta doença que se mostra extremamente letal para as aves.

Macho Cinza

Foto: Alfredo C Gomes

ATENÇÃO : As medicações mencionadas acima são de propriedade de seus laboratórios respectivos. O site Calopsitas.com , Universo Aves e Omniverso.com não endossam as marcas e/ou produtos. Eles são mencionados por seus nomes conforme comprovamente utilizados pelos criadores de aves e, assim, também relacionados de forma a que o usuário possa saber qual medicação efetivamente utilizar. Conforme novos produtos sejam utilizados, testados e aprovados em sua utilização estaremos incluindo-os nesta relação. Em caso de dúvidas se utilizar do canal aves@omniverso.com . Procure se afiliar no site Calopsitas do Yahoo onde criadores experientes podem compartilhar com você novas informações, dar a melhor guia e o melhor caminho a seguir.

Caso tenha necessidade dos serviços de um veterinário cliqueaqui . Ou entre na página principal e clique o botão veterinários.

Fórum Calopsitas - Yahoo

Volta